Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos



A CARTA QUE NÃO MANDEI...

cartas+de+amor2.jpg
Olá, Amor da minha vida!... Estou aqui para tentar retribuir a gentileza de tua visita. Eu nem deveria escrever nem mais uma palavra depois do que nos falamos. Não sem antes ouvir de você um belo pedido de desculpas.
Mas... como não suporto ficar em silêncio. Não consigo guardar por muito tempo algo que estar me machucando, tirando meu sono ou causando alguma dúvida, resolvi escrever. Não vou tomar muito o teu tempo. Prometo me esforçar para ser o mais sucinta possível.

Não posso negar que ontem tive vontade de te falar palavras lindas, de carinho. Desejei mais uma vez repetir minhas declarações de amor que tantas vezes já ouvistes. Mas não me deixastes à vontade para falar o que sei que tanto gostas de ouvir. Percebi que estavas tenso. Parecias confuso, estressado. Não sei se fiz ou falei algo que não deveria, mesmo assim, peço desculpas se, com meu jeito de amar perturbo a tua paz.

Quero que saibas que eu me considero uma pessoa especial, uma mulher privilegiada por ter em minha vida alguém igual a você. Por escutar o som  da tua voz, por receber teus beijos e abraços e me sentir habitar em teu ser, por sentir o teu perfume e o melhor: Por ter conquistado um lugar no teu coração.

Espero que encontres em tua agenda (sempre cheia) alguma disponibilidade para ler esta, porque não tive a coragem de mandar. Agradeço a Deus por você existir, e por ser essa pessoa que me entende, que me ama de verdade e que, também conquistou a minha alma e o meu coração.

Imagino que não és capaz de mensurar o bem que o teu amor me faz. E, apesar de algumas vezes já ter sofrido e chorado por tua causa, não te recrimino por isso. Minhas lágrimas são lágrimas de amor; de saudades quando demoras. São lágrimas de lembranças felizes dos momentos que vivemos. São lágrimas de felicidade e não de tristeza.

Sei que breve nos encontraremos. Sei que não suportas muito tempo longe de mim. Por isso, também estou em contagem regressiva, das horas que nos separam. Talvez ainda hoje ou amanhã logo cedo, estejamos um nos braços do outro, para matarmos toda saudade, para tirarmos todas as dúvidas que por acaso possa ter ficado. Mas... principalmente para vivermos mais uma vez um novo capítulo de nossa bela e apaixonada história de amor. 

Isis Dumont
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 05/04/2012
Alterado em 06/04/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras