Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

(Poe/Art interpretação)
Náufrago desse amor

Caminhos se cruzam e descruzam
Feito versos confusos de um poema
Que busca sentido em sua construção.
 
Ainda assim vale a pena pensar
Em você como realidade de meus sonhos
Acalentados, nutridos dessa 
utopia que os

Mantém de pé sempre na mesma direção.
Os laços que nos unem, mantém-se apertados,
Mesmo que às vezes não pareçam...
 
De vez em quando sou invadido repentinamente
Por um pensamento que me traz certo encantamento,
Quando em mim vem despertar os desejos mais ousados de você,
Anjo, deus, divindade de minha inspiração.
 
Cai o véu da noite e um silêncio
(cúmplice) me possui,

Lembrando que tudo que vivemos
É muito mais forte que um simples
Jogo, que na penumbra do amanhecer
Procura se esconder na sombra
Do teu olhar desperto.
 
És um deus grego buscando o amor,
E eu apenas alguém a admirar, contemplar
Tua beleza que consegue como ninguém
Ser tão sedutora...
No entanto, aconselho minha alma a desviar-se  de ti, retomar caminhos contrários aos teus,
antes que em teu corpo
eu veja naufragar para sempre
todos os desejos meus.
****************

Ísis Dumont
Li "Em ti sou náufrago" de Cassio Seagul, que inspirou-me este texto. Obrigada, poeta!
Informações sobre o processo criativo dessa modalidade na página do poeta/escritor: Maurício de Oliveira, seção E-Livros.
 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 08/04/2014
Alterado em 08/04/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras